Home / externas / Estudantes enfrentam demora no atendimento do DFTrans nesta segunda

Estudantes enfrentam demora no atendimento do DFTrans nesta segunda

Mais uma vez os postos de atendimento do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) são alvo de queixas de estudantes. Nesta segunda-feira (7/8), jovens de todo o DF foram ao Sistema de Bilhetagem Automática (SBA) da Galeria dos Estados na tentativa de reativar o Passe Livre Estudantil. Porém, muitos alunos foram surpreendidos pelo tamanho das filas e a demora no atendimento. De acordo com o diretor-geral do DFTrans, Léo Carlos Cruz, o problema se deve a entrega de 3,4 mil cartões ao longo desta semana.

A estudante Antônia Márcia da Silva Bezerra, de 25 anos, faltou ao trabalho para reativar o benefício. Moradora do Cruzeiro, ela chegou ao posto de atendimento da Galeria dos Estados às 13h, mas esperou durante uma hora e quarenta minutos apenas para conseguir uma senha. Às 15h, ainda aguardava por sua vez de ser atendida. Segundo Antônia, não é a primeira vez que precisou ir ao local para resolver o problema com seu cartão do passe livre: as aulas da estudante retornaram nesta segunda e o cartão não funcionou.

“Eu moro no Cruzeiro e estudo na L2 Sul. Hoje, tive que pagar R$ 14 para ir à faculdade. Não tenho condições de continuar pagando esse valor todo dia”, contou. “É sempre a mesma história, todo semestre tenho problemas com meu cartão e tenho que vir aqui resolver. E ainda corro o risco de voltar com o cartão sem funcionar”, acrescentou.

A universitária Flavia Maria da Silva, 30, também chegou ao posto às 13h e não conseguiu atendimento até às 15h. Suas aulas começaram em 27/7 e, desde então, ela procurou o SBA de Ceilândia duas vezes, mas ainda não conseguiu reativar o cartão do benefício. “Moro em Ceilândia e estudo no Pistão Sul (em Taguatinga). Até agora gastei mais de R$ 50 em passagens”, detalhou. Desempregada, Flavia precisou ficar dois dias sem frequentar a aula para conseguir dinheiro e ir à Galeria dos Estados nesta segunda.

“Está tudo muito difícil sem emprego. A sorte é que eu faço trabalhos artesanais para vender e é esse dinheiro que está me salvando. Não posso ficar sem o passe livre. Faltei dois dias de aula para economizar e vir ao posto hoje”, explicou.

1/6Antônia Marcia faltou trabalho nesta segunda para ir ao SBA reativar o cartão. De acordo com a moça, o problema se repete todo semestreGiovanna Bembom/Metrópoles
2/6Desempregada, a estudante Flavia Maria já gastou mais de R$ 50 em passagens desde o dia 27/7Giovanna Bembom/Metrópoles
3/6Alunos de todo o DF foram ao posto de atendimento da Galeria dos Estados nesta segunda (7/8)
Publicidade
4/6Até às 15h, a fila ainda estava enorme. A estudante Antônia Marcia viu uma mulher desmaiar na filaGiovanna Bembom/Metrópoles
5/6Mesmo com a fila grande, os estudantes não paravam de chegar e os funcionários afirmaram que não entregariam mais senhasGiovanna Bembom/Metrópoles
6/6Filas enormes no SBA da Galeria dos EstadosGiovanna Bembom/Metrópoles

 

O relato das estudantes é comum, mas o diretor-geral do DFTrans, Léo Carlos Cruz, garantiu ao Metrópoles que o aumento de alunos na fila se deve a entrega de 3,4 mil cartões de passe livre ao longo desta semana. Segundo ele, até quarta-feira (9/8) cerca de 1,4 mil cartões devem ser entregues no SBA da Galeria dos Estados e mais 2 mil na Galeria do Metrô, na Rodoviária do Plano Piloto.

Ainda de acordo com o diretor do DFTrans, 80% dos alunos que vão aos postos de atendimento estão com cartão vencido e, muitas vezes, podem resolver o problema na instituição onde estudam ou mesmo no site no passe livre. “Temos 195 mil estudantes em todo o DF com cartões reativados. Não há nada no nosso sistema, se tivesse um problema, eles (os cartões) não seriam ativos”, explicou.

Os cartões podem estar com quatro problemas: a instituição de ensino pode não ter enviado o nome do aluno, ou ele mudou de escola e não comunicou o DFTrans. Temos ainda falhas no validador dos ônibus que podem estar desatualizados ou o próprio cartão com chip danificado

Léo Carlos Cruz

Cruz ressaltou que o aluno só deve ir aos postos de atendimento se houver algum tipo de defeito com o cartão. “Se o nome não estiver na lista da escola e o cartão continuar sem passar, aí sim, deve-se procurar os postos. Caso contrário, procure a instituição de ensino ou o site para resolver”, aconselhou o diretor.

Fonte: Metrópoles
Autor: Raiane Wentz

Powered by WPeMatico

Sobre radarsantamaria