Home / externas / Aberta a 1ª Mostra de Experiências Inovadoras do SUS DF

Aberta a 1ª Mostra de Experiências Inovadoras do SUS DF

A 1ª Mostra de Experiências Inovadoras no SUS do Distrito Federal foi aberta na manhã desta terça-feira (5). O evento terá duração de dois dias — hoje e amanhã —, com apresentações de 193 projetos selecionados entre 575 inscritos, todos da rede pública de saúde do DF.

O objetivo da mostra é dar visibilidade às experiências inovadoras do SUS-DF. Pretende também estimular transferência de tecnologias entre regiões de saúde, unidades de referência, administração central, voluntariado, organizações não governamentais, conselhos e entidades vinculadas ao setor.

Presente à solenidade, a colaboradora do governo de Brasília Márcia Rollemberg destacou a importância do evento. “Vi várias iniciativas de saúde reconhecidas no Inova Brasília. Esperamos o mesmo na mostra. E que a gente possa institucionalizar algumas dessas práticas”, destacou.

Para o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, a Mostra de Experiências Inovadoras revela que o modelo é bom. “Protegemos o SUS com iniciativas dessa natureza, investindo em ações para fazer diferente o que hoje é feito”, defendeu.

Uma das idealizadoras da mostra, Heloisa Machado de Souza se disse surpresa com a adesão. “Abrimos o edital em 1º de setembro e tínhamos 40 dias para receber os trabalhos. Nossa expectativa, no melhor dos mundos, era receber 200 inscrições”, contou, emocionada.

“Protegemos o SUS com iniciativas dessa natureza, investindo em ações para fazer diferente o que hoje é feito”
Humberto Fonseca, secretário de Saúde

O evento destes dias 5 e 6 de dezembro é, segundo ela, resultado do esforço de equipe. “Apesar do cenário de crise em que vivemos, por uma série de condições adversas, temos experiências que precisam ser mostradas e compartilhadas. A maioria dos nossos servidores está comprometida em levar o melhor atendimento à população”, observou.

Coube ao médico Rafael Bengoa, codiretor do Instituto de Saúde e Estratégia de Bilbao (Espanha), fazer a conferência inaugural. Ele falou sobre os desafios e soluções contemporâneas para a sustentabilidade dos sistemas universais de saúde e respondeu a perguntas do público.

“Apesar da crise econômica e das dificuldades financeiras, vivemos o melhor momento para mudar o modelo de atendimento de saúde, porque temos recursos humanos e novas ferramentas tecnológicas. Sem saúde da família, não é possível mudança”, afirmou Bengoa.

Dos 575 projetos inscritos, todos já em desenvolvimento na pasta da Saúde, 558 foram validados. Destes, 193 foram classificados para concorrer a premiações em dinheiro e a viagens. O resultado será divulgado nesta quarta-feira (6), às 15 horas.

Os trabalhos foram divididos em sete categorias:

  • Atenção primária e vigilância em saúde
  • Regionalização e conformação das redes de atenção à saúde
  • Regionalização e aplicação das ferramentas de planejamento
  • Participação social
  • Gestão do trabalho e da educação em saúde no âmbito do SUS no DF
  • Desenvolvimento e aplicação de tecnologias para qualificação da assistência e da gestão do SUS DF
  • Voluntariado e parcerias com organizações não governamentais

Os três primeiros colocados em cada categoria receberão prêmios em dinheiro, de R$ 1,7 mil, R$ 1,5 mil e R$ 1 mil, respectivamente. Os recursos, doados pela Federação das Indústrias do DF (Fibra), deverão ser utilizados pela equipe responsável na execução da experiência premiada.

Entre os selecionados está o Papo de Saúde, desenvolvido pela Assessoria de Comunicação da pasta. A ferramenta permite que servidores apresentem propostas para solucionar problemas e melhorar processos, de forma a aperfeiçoar o atendimento à população.

Outro concorrente é o aplicativo Amamenta DF, criado na tentativa de aumentar a quantidade de doadoras cadastradas nos bancos de leite humano. “O aplicativo ajuda na rota de coleta, entrega de pote e apontamentos da mãe.

Muitas vezes o bombeiro perdia a viagem por falta de comunicação com a mãe e, agora, isso não vai mais acontecer. “Com menos de um ano de lançamento, já temos 598 cadastros ativos”, explica a servidora Érika Bragança, uma das idealizadoras do projeto.

Há ainda trabalhos nas áreas de odontologia, de nutrição, de farmácia e de boas práticas em unidades básicas de saúde. Para assistir às apresentações, foram inscritos 390 servidores, voluntários e usuários do SUS, além de 150 gestores, entre subsecretários, superintendentes, diretores e gerentes de unidades e áreas de Saúde.

Fonte: Metrópoles / AgenciaBrasilia
Author: Da Agência Brasília, com informações da Secretaria de Saúde

Powered by WPeMatico

Sobre radarsantamaria