Célula obstruída por gordura pode indicar ligação entre câncer e obesidade

A obesidade é uma das condições que mais afeta pessoas ao redor do mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), um em cada oito adultos no planeta é obeso e a tendência é que esse número cresça ainda mais nos próximos anos. Entre os vários problemas que o excesso de peso pode causar, a maior propensão ao desenvolvimento de câncer é um deles.

Pexels

Porém, uma nova pesquisa produzida pela equipe de cientistas da Trinity College Dublin, na Irlanda, e publicada pela revista científica Nature Immunology, pode ter descoberto uma informação importante sobre o assunto e até um caminho para reverter essa situação. Durante o estudo feito com base em dados extraídos de ratos e também de seres humanos, foi descoberto que as células Exterminadoras Naturais ou células NK, que fazem parte do sistema imunológico e ajudam a combater tecidos tumorais, ficam entupidas por gordura e param de funcionar.

Apesar de já suspeitarem de que a gordura poderia danificar as células e que isso influenciaria de alguma forma no surgimento do câncer, até então os especialistas não sabiam como essa ligação ocorria. Por isso, essa nova descoberta de que as moléculas gordurosas impedem a atuação correta do sistema imunológico é tão importante para desenvolver tratamentos que ajudem a prevenir essa situação.

Veja também

Segundo a pesquisadora Lydia Lynch, que faz parte da equipe que desenvolveu o estudo, em entrevista à BBC, o uso de um composto que bloqueie a absorção de gordura pelas células NK pode ajudar. “Tentamos em laboratório e descobrimos que isso permite que elas voltem a matar um câncer”. Porém, a cientista afirma que perder peso é a maneira mais saudável e efetiva de evitar esse problema.

No Reino Unido, local em que a pesquisa foi desenvolvida, a obesidade é a maior causa de câncer passível de prevenção depois do fumo, de acordo com dados da Cancer Research UK. Segundo os números do instituto, 1 em cada 20 casos de câncer que ocorrem no Estado estão relacionados com o excesso de peso. À BBC, Leo Carlin, do Instituto Beatson da Cancer Research UK, revelou que a ciência já tem evidências de que a obesidade aumenta o risco de 13 tipos diferentes de câncer, entre eles estão os cânceres de fígado, rim e pâncreas. 

Com esse cenário aliado ao aumento da obesidade no mundo, fica evidente a importância de descobertas como a feita pelo estudo da Trinity College Dublin, que pode ajudar a encontrar uma maneira de reverter esse quadro de predisposição ao câncer por quem é obeso.

Fonte: Metrópoles/ boaforma.abril/
Autor: Da Redação

Comentários estão bloqueados.