Estudantes de Samambaia visitam Embaixada dos Estados Unidos

Com passaporte em mãos, cerca de 30 alunos do 6º e do 7º ano do Centro de Ensino Fundamental 404 de Samambaia conheceram um pouco mais da cultura dos Estados Unidos da América.

Com passaporte em mãos, cerca de 30 alunos do sexto e do sétimo ano do Centro de Ensino Fundamental 404 de Samambaia conheceram um pouco mais da cultura dos Estados Unidos da América.

Com passaporte em mãos, cerca de 30 alunos do 6º e do 7º ano do Centro de Ensino Fundamental 404 de Samambaia conheceram um pouco mais da cultura dos Estados Unidos da América. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

O documento simbólico marcou a passagem deles pelo programa Embaixadas de Portas Abertas, que oferta a estudantes da rede pública do DF acesso a conhecimentos de países com representação diplomática em Brasília.

A visita à embaixada do País, na 801 Sul, ocorreu na manhã desta quinta-feira (29). A adida cultural, Joëlle Uzarski, recepcionou os estudantes. “Espero que vocês aprendam muito”, disse, ao desejar boas-vindas.

Aluna do sétimo ano, Maria Eduarda Sousa Carmo, de 12 anos, estava ansiosa pela visita. “Não conseguia dormir direito”, contou. “Gostei muito de vir. Se um dia a gente for para outro País, já teremos conhecimento”, completou.

As crianças provaram alimentos como bolo de abobrinha e sanduíche com recheio de frango e pepino. Também participaram de atividade sobre diferenças e semelhanças entre diferentes países e os símbolos dos Estados Unidos.

A colaboradora do governo, Márcia Rollemberg, destacou a proposta do programa. “É um momento de conhecer as culturas do mundo e aprender com as diversidades. Esse é um programa que amplia os horizontes.”

Antes de voltarem para a escola, os estudantes receberam recordações para levar para casa.

O programa Embaixadas de Portas Abertas

O Embaixadas de Portas Abertas começou, como piloto, em 2015 e foi instituído oficialmente em 9 de agosto de 2017.

A iniciativa é uma parceria da Assessoria Internacional com a Secretaria de Educação e a Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB) — que leva os alunos às embaixadas.

As atividades fazem parte do programa Criança Candanga, conjunto de políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência em Brasília.

Edição: Amanda Martimon

Fontes: Politicadistrital / Capitaldoentorno
Author: Samira Pádua, da Agência Brasília

Comentários estão bloqueados.