Veja quais são os 10 primeiros sintomas da gravidez

É possível perceber alguns sinais do corpo que podem indicar uma gravidez, além do atraso na menstruação. Alguns podem passar despercebidos e outros são similares aos da tensão pré-menstrual (TPM).

Para se ter certeza da gestação, a única maneira 100% confiável é o exame de sangue que detecta o hormônio HCG a partir de 10 dias da fecundação. Os testes de farmácia também funcionam relativamente bem – mas, se o resultado for negativo e ainda assim a mulher estiver com a menstruação atrasada e sentindo os sinais do corpo, é melhor repetir o exame.

Além dos sintomas mais comuns, como enjoo matinal, cansaço e sensibilidade nas mamas, há outro conjunto de sinais que tem relação direta com a gravidez.

Confira na galeria:

Veja quais são os 10 primeiros sintomas da gravidez

Veja quais são os 10 primeiros sintomas da gravidez

10 FOTOS

1/10

Enjoos, vômitos e salivação: Os enjoos e vômitos são comuns, principalmente pela manhã, e surgem, geralmente, após a sexta semana de gestação e podem perdurar por toda a gravidez. No entanto, as náuseas não são necessariamente acompanhadas por vômitos. Ao contrário, é até mais comum que a mulher sinta enjoo e não vomite. Pode ocorrer também excesso de salivação, o que acaba tornando os enjoos ainda mais desconfortáveis para a gestante iStock

2/10

Cansaço fácil: A fadiga é um dos sinais mais comuns da gravidez e pode estar presente durante toda a gestação, começando a surgir por volta da segunda semana. É normal que esse cansaço vá aumentando durante as primeiras 12 semanas de gravidez, enquanto o corpo adapta todo seu metabolismo para fornecer a energia necessária para o desenvolvimento do bebê.
Esse tipo de cansaço é identificável quando a mulher começa a sentir que as tarefas que fazia anteriormente estão se tornando muito exaustivas, chegando no final do dia sem energia ou precisando dormir mais de 10 horas por noite iStock

3/10

Variações de humor: Logo nas duas primeiras semanas de gravidez, a mulher poderá perceber algumas variações de humor sem causa aparente. É muito comum chorar por situações cotidianas. Isso acontece porque fortes alterações hormonais, normais na gravidez, podem causar um desequilíbrio nos níveis de neurotransmissores, deixando o humor mais instável iStock

4/10

Aumento da vontade de urinar: Com o avanço da gestação, o corpo da grávida precisa produzir vários hormônios, como a progesterona, para garantir que o bebê se desenvolva de forma saudável. Os músculos da bexiga ficam mais relaxados e, por isso, é mais difícil esvaziá-la completamente iStock

5/10

Cólica e inchaço abdominal: Com o óvulo fecundado, há um aumento de fluxo sanguíneo na região pélvica e os hormônios femininos entram em ação para preservar o embrião e dar continuidade à gravidez. Isso pode causar algum desconforto abdominal que pode ser reconhecido como uma cólica menstrual de fraca a média intensidade.
O inchaço abdominal é um dos primeiros sinais de gravidez e é causado pelas intensas alterações pélvicas que estão acontecendo. O sintoma aparece com mais frequência entre os primeiros sete dias e as duas semanas iniciais da gestação. Por volta de sete semanas, a região abdominal abaixo do umbigo começa a ficar dura iStock

6/10

Espinhas e pele oleosa: As alterações hormonais podem levar ao surgimento ou agravamento de cravos e espinhas, chamados cientificamente de acne. Por isso, após o primeiro mês de gravidez, a mulher pode notar um aumento da oleosidade da pele iStock

7/10

Corrimento vaginal cor-de-rosa: Quando o óvulo é fecundado, pode haver um leve corrimento cor-de-rosa, que na verdade é a secreção normal que a mulher apresenta (excesso de muco vaginal) com vestígios de sangue causados pela entrada do espermatozoide no óvulo e pelo seu deslocamento até o útero. Esse corrimento pode surgir poucos minutos após a relação ou até três dias depois do contato íntimo, período de vida do espermatozoide dentro do organismo feminino. Por vezes, esse fluxo só é observado quando a mulher vai limpar-se após urinar iStock

8/10

Tonturas, sono e dor de cabeça: A tontura e o sono fora de hora são sintomas que ocorrem por causa de queda da pressão arterial, redução da glicose no sangue e má alimentação devido aos enjoos e vômitos frequentes. Esses sintomas surgem logo nas primeiras cinco semanas de gravidez, mas tendem a diminuir a partir da vigésima semana de gestação.

A dor de cabeça é comum durante a gravidez devido às alterações hormonais, mas geralmente é fraca, embora persistente iStock

9/10

Mamas sensíveis e inchadas: Nas duas primeiras semanas de gravidez, a gestante pode observar que os seios ficam mais sensíveis. Isso se deve à atuação dos hormônios que estimulam as glândulas mamárias, preparando a mulher para a amamentação. Existe também um aumento no volume da mama, que começa a desenvolver glândulas mamárias para suportar as necessidades do bebê depois do nascimento.

Além disso, os mamilos também podem sofrer alterações, ficando mais sensíveis e inchados. A aréola pode ficar mais escura pelo aumento de fluxo sanguíneo na região. Algumas mulheres podem até sentir muito desconforto com o simples roçar da blusa ou sutiã no mamilo iStock

10/10

Aversão a cheiros fortes: É muito comum que, no início da gravidez, a mulher se incomode com cheiros fortes, mesmo aqueles aparentemente agradáveis, como perfume. A maioria das grávidas pode até vomitar após sentir cheiros fortes, como o da gasolina, do cigarro ou de produtos de limpeza, por exemplo.

Como o olfato está alterado, algumas mulheres relatam uma alteração no sabor da comida, que se torna mais intenso e enjoativo iStock

Quando fazer o teste de gravidez
O teste de gravidez que se compra na farmácia pode ser feito no primeiro dia de atraso menstrual. Se o resultado der negativo, pode-se esperar de três a cinco dias e, se a menstruação continuar atrasada, repetir o teste. Se o resultado ainda for negativo, avalie a possibilidade de fazer um exame de sangue para diagnosticar a gravidez, porque este é mais fidedigno e mostra a quantidade do hormônio beta HCG, que só é produzido durante a gestação.

Esse exame pode indicar o resultado positivo ou negativo e ainda com quantas semanas de gestação a mulher está:

  • 7 dias após a fertilização: até 25 mUI/mL
  • 4 semanas após a data da última menstruação: 1.000 mUI/mL
  • 5 semanas após a data da última menstruação: 3.000 mUI/mL
  • 6 semanas após a data da última menstruação: 6.000 mUI/mL
  • 7 semanas após a data da última menstruação: 20.000 mUI/mL
  • 8 a 10 semanas após a data da última menstruação: 100.000 mUI/mL

Entretanto, se mesmo após 10 dias do atraso da menstruação o teste de gravidez de farmácia der negativo, a mulher não deve estar grávida, mas deve marcar uma consulta com um ginecologista para verificar a causa do atraso menstrual.

(Com informações do portal Tua Saúde)

Fonte: Politicadistrital / AgenciaBrasilia / metropoles
Author: Da Redação

Comentários estão bloqueados.